quinta-feira, 26 de abril de 2012

Minha opinião sobre o FEJMA

Muitos estão questionando o meu silêncio em relação à reunião do FEJMA, haja vista que há alguns meses atrás eu questionei a atuação da mesma. Reveja aqui!

Lamentando, falei sobre a negligência do corpo coordenativo e a não realização de reuniões a cada três meses, de acordo com o Art. 15 do Regimento Interno, que diz: "O FEJMA reunir-se-á em sessão ordinária a cada três meses...”.

HÁ MAIS DE UM ANO, após sua reunião em Timbiras, o FEJMA realizará a sua XIII Reunião Ordinária e a I Extraordinária em Governador Nunes Freire. Demorou, mas teremos reunião... Até que enfim!

Pensei em não falar, mas não suportei em imaginar que uma reunião, tão importante como esta, se transformasse em um campo de guerra de ideologias mesquinhas e politiqueiras.

Apesar de torcer para que isso não aconteça, grupos de "pseudo-lideres" se instalaram dentro do FEJMA de tal forma, que é quase impossível, participar de uma reunião e dizer que é "um espaço público e múltiplo, onde a juventude representativa de seus segmentos trabalha de forma integrada, visando à garantia de direitos para os jovens maranhenses", assim como diz o Regimento.

Eu sou membro do colegiado/Alto Turi e integro a comissão organizadora local, porém não concordo com algumas idéias e ações.

Vejo muitos “usurpadores”, que tem ocupado esse espaço, usando as organizações (ou fraudando documentos de entidades) para trabalhar a sua exposição pessoal, visando uma vaga no CEJOVEM e conseqüentemente, usando-a de trampolim político.  Porém, esta grande ocupação não desqualifica os líderes natos e honestos, mesmo que seja uma minoria.

Neste contexto é preciso que os “líderes natos” assumam seu papel, tomem iniciativa, e se preparem para exercer o seu grande papel de transformadores da realidade, de gestores da mudança.

Torço que esta reunião seja diferente, que possamos, verdadeiramente, discutir políticas públicas para juventude, garantindo os direitos para os jovens maranhenses e o fortalecimento dos movimentos juvenis.

Deixo claro que este texto não tem como objetivo desqualificar a legitimidade do FEJMA, por contrario, é exemplo que há quem se preocupe com o futuro da instituição e que torce por dias melhores!