segunda-feira, 21 de maio de 2012

Honrar é melhor que sacrificar

Por Beto Pinheiro

"Honrar ao teu próximo não faz que tu sejas inferior a ele, faz que tua aprendas que na tua humildade, és grande" (Beto Pinheiro)

Estive observando nestes últimos dias, a quantidade de comentários que uma postagem sobre a quem devemos honrar, gerou. 

Não tenho a intenção de polemizar o assunto, apenas estou emitindo a minha opinião, e com toda a certeza, respeitando a opinião que cada um tem consigo. Mas, por que será que o termo honrar ao teu próximo, gerou tanto incômodo para alguns? Talvez porque nos acostumamos a criticar mais do que reconhecer o valor que o nosso próximo tem, sendo ele uma autoridade ou não. Talvez porque o criticar nos é mais leve do que a admiração pelas qualidades que alguém possui.

Levamos muito ao extremo quando nos é colocado a palavra honrar, soa-nos como uma obrigação que nos maltrata, que nos pesa. 

Honrar, na verdade, não é só prestigiar, não é se humilhar, não é dobrar-se sempre a vontade de alguém ou tampouco aceitar sempre de bom grado, aquilo que o outro fala ou faz. Honrar é acreditar no teu próximo no momento em que ele mais precisa e não no momento que ele mais merece. 

O grande problema de nós, seres humanos, é que defendemos com todo o afinco aquilo que os outros nos dizem e esquecemo-nos de defender o ideal em que acreditamos. Defendemos com garra uma bandeira, e esquecemo-nos de defender a causa. Mas, quando as pessoas tem a consciência que defender uma causa é bem mais interessante do que simplesmente criticar, as mudanças acontecem, e o honrar se torna algo tão simples que o fazemos até sem perceber. 

Tenho visto alguns projetos, aqui mesmo em Governador Nunes Freire, que se destacam por sua força motivadora e por principalmente demonstrar como o honrar ao próximo é algo simples pra quem faz e especial pra quem o recebe. Vou citar apenas dois projetos dentre tantos que merecem destaque: Igreja Adventista, grupo dos Desbravadores, que além de ensinar preceitos bíblicos aos jovens, ainda ensina lições de cidadania aos mesmos. Prova disso é que sempre participam das comemorações cívicas. CUFA-GNF, que tem desenvolvido um trabalho excepcional com pessoas que estavam de alguma forma sendo excluídas. Então, eis a pergunta: Por que esses dois projetos acima citados, fizeram a diferença? Porque se empenharam em um bem comum, honrando o seu próximo com o seu melhor. E o interessante é que as pessoas que receberam as honrarias, muitas vezes são pessoas simples, sem qualquer poder hierárquico.

Não precisamos sair propagando por toda a cidade que prestamos honra a alguém, deixe que as nossas boas atitudes o façam. E no momento em que eu não reconhecer que devo honrar o meu próximo, que é todo o ser humano, passarei a acreditar também que a minha Bíblia terá uma página a menos: a página que contém a parábola do Bom Samaritano, pois lendo esse texto bíblico descobri que honra não é só o engrandecimento do próximo, mas é mudança interior, saber baixar a guarda e principalmente, servir. 

E para concluir: A minha madrinha de casamento é membro da Igreja Adventista, sempre que ela vem a nossa casa, nós nos abstemos de comer alguns alimentos os quais ela não come, como: carne suína, peixes que não contenham escamas, etc. Embora a nossa religião seja diferente da religião dela, o nosso respeito e amizade são mútuos. Abster-se de algo em prol do seu próximo, talvez seja a melhor forma de honrar alguém, mesmo que seja com simplicidade. 

E mais uma vez reafirmo: Não sou candidato a nenhum cargo político, não sou filiado a nenhum partido político, sou profissional liberal de vendas, trabalho em uma empresa privada e sou membro da Primeira Igreja Batista em Governador Nunes Freire - Ma. (me perguntaram de novo se pretendo disputar cargo político...rsrsrs não!) 

Não sabe como comentar? Clique aqui e aprenda, é muito fácil!

AddToAny