quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Levantamento mostra São Luís em situação de alerta para a dengue

São Luís é uma das 13 capitais brasileiras que estão em situação de alerta para a ocorrência de epidemias de dengue, segundo dados do Levantamento Rápido do Índice de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa). O estudo foi atualizado nesta sexta-feira (14) pelo Ministério da Saúde.

É considerado estado de alerta quando menos de 3,9% dos imóveis pesquisados têm larvas do mosquito; de risco quando apresentam larvas do mosquito em mais de 3,9% dos imóveis; e satisfatório quando o índice está abaixo de 1% de larvas do Aedes aegypti.

De acordo com o levantamento, Rio Branco é a única capital em situação de risco, com índice de 4,2. Além de São Luís, são 12 as capitais que apresentaram situação de alerta (Boa Vista, Palmas, Salvador, Porto Alegre, Cuiabá, Vitória, Maceió, Natal, Recife, Aracaju, Belém e Porto Velho) e outras 11 estão com índices satisfatórios (Curitiba, Florianópolis, Brasília, Campo Grande, Goiânia, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Macapá, Teresina e João Pessoa). Duas capitais (Manaus e Fortaleza) ainda não apresentaram ao Ministério da Saúde os resultados do LIRAa.

O estudo revelou, ainda, onde estão os focos dos mosquito. No nordeste, 76,5% das larvas estão em formas de armazenamento de água, 17,5% em depósitos domiciliares e 6% em espaços em que o lixo não está sendo manejado adequadamente.

O secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa, reforça que a prevenção da dengue é simples. “Em apenas 15 minutos semanais, as famílias podem fazer a inspeção em suas casas, destruindo os focos dos mosquitos dentro de pneus, vasilhas de plantas e outros tipos de recipientes que possam acumular água parada”, frisou.

A pesquisa é realizada pelo Ministério da Saúde em 1.737 cidades brasileiras e é considerada um instrumento fundamental para orientar as ações de controle da dengue.

Casos em Açailândia

Em Açailândia, a 600 km de São Luís, 366 casos de dengue foram notificados de janeiro a outubro deste ano. Com a aproximação do período de chuvas, a população teme um aumento do mosquito.

Destas notificações foram confirmados 43 casos de dengue clássica e 199 casos descartados, índice considerado dentro da margem de controle de acordo com metas do Ministério da Saúde.

“Eu tomo todo cuidado do mundo dentro da minha casa, mas não adianta de nada, porque nas áreas próximas ninguém toma cuidado para a gente não sofrer com a dengue”, lamenta a dona de casa, Rosângela Pereira.

Não sabe como comentar? Clique aqui e aprenda, é muito fácil! Também siga o blog do Marcos Leite no Twitter e curta nossa página no Facebook.