terça-feira, 22 de setembro de 2015

Dólar opera em alta e passa de R$ 4, maior cotação desde a criação do real

O dólar à vista abriu acima do patamar dos R$ 4 no que está sendo considerado o “dia D” para o governo. Está programada para esta terça-feira, 22, às 19 horas, a apreciação pelo Congresso Nacional de vetos da presidente Dilma Rousseff. Caso venham a ser rejeitados, o ajuste fiscal e a governabilidade sentirão um forte baque.

Às 9h17, o dólar à vista subia 1,18% e chegava a R$ 4,024. A moeda abriu a sessão acima dos R$ 4,00, cotada a R$ 4,005 no balcão, com alta de 0,70% – maior cotação intraday desde a criação do Plano Real. A máxima intraday anterior foi em 10 de outubro de 2002, a R$ 4,00, de acordo com levantamento do Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado

No horário acima, a moeda para outubro subia 0,96% aos R$ 4,0385 O índice ICE Dollar, que compara a moeda norte-americana em relação a uma cesta de seis principais divisas, subia bem menos (+0,18%).

O fortalecimento do dólar ocorre ainda ante diversas moedas, como o euro, a libra esterlina, a lira turca e várias moedas de economias ligadas a commodities e países emergentes. Como escrevem os analistas do Bradesco, o destaque no exterior é a forte depreciação do rand sul-africano.

Mais cedo, a FGV divulgou que o Índice de Confiança da Indústria (ICI) apurado na prévia da sondagem de setembro caiu 2,5% na comparação com o resultado final de agosto, para 66,3 pontos. O dado, já livre de influências sazonais, indica que a confiança atingiu neste mês o menor nível de toda a série histórica, iniciada em abril de 1995.

Entre indicadores brasileiros, o IBGE divulgou o IPCA de setembro (0,39%). O resultado ficou acima da mediana calculada pelo AE Projeções (serviço especializado da Agência Estado), de 0,38%.

Nessa terça-feira (21/9), as casas de câmbio do Distrito Federal já vendiam a moeda americana a R$ 4,27. A alta na cotação não foi freada, mesmo após o Banco Central ter realizado leilões de empréstimos no valor de U$ 3 bilhões na tentativa de conter a volatilidade da moeda americana. O dólar comercial teve um novo dia de alta, fechando ontem a R$ 3,98.

Correio Braziliense 

Não sabe como comentar? Clique aqui e aprenda, é muito fácil! Também siga o blog do Marcos Leite no Twitter e curta nossa página no Facebook.